sábado, 4 de fevereiro de 2012

Sentimentos


Porque é sempre a tristeza que me consome? A felicidade ou a alegria nunca me consomem. Só a tristeza. Será que é depressão ou solidão? Hoje é um dia daqueles que se uma flor cair de uma árvore, com certeza irei chorar.
Acho que é por causa de uma "conversa" que tive ontem e é aquela conversa que já acabou. Nunca mais vai retornar. Foi só aquela e pronto.
Confesso que estou parecendo a Bridjet Jones, no meu limite, entre a loucura e a razão. Não estou dizendo que sou louca, mas eu quero o meu canto para poder gritar bem alto e não ter ninguém para perguntar o que foi. Quero meu espaço. Quero não, preciso do meu espaço. Já passou da hora. Não é que não goste das pessoas, mas eu quero meu canto, não só um quarto.
Pior do que essa ânsia de querer começar a viver MINHA vida (não que eu já não viva, mas estou sufocada onde estou) , é dividir a vida com alguém que não está com um pingo de pressa. E tem um pior ainda, não aceita uma outra opinião, uma vez que já foi tomada uma decisão (sozinho) do que fazer.
Acho bacana a decisão que foi tomada, mas ninguém me perguntou se é isso mesmo que eu quero, ou o que eu acho, ou a minha opinião.
O que eu quero? "Quero explodir as grades e voar, não tenho pra onde ir, mas não quero ficar." Sério mesmo. Quero meu canto. Minha comida. Minha sala. Não quero só um quarto. Meu jardim. Minhas plantas. Quero algo pra chamar de mue ou nosso, se ambos quisermos, se não, só meu mesmo.
Quero uma razão, um motivo para continuar escrevendo, para continuar desabafando, para continuar amando.
Tenho certeza que o assunto acabou porque meus olhos marejados não esconderam minha frustração de continuar uma conversa que já havia terminado.
No relacionamento exite sempre uma certeza, uma meta. Essa meta, não foi traçada juntos, e essa certeza, nunca sou eu. Eu sempre fico com a parte mais dolorosa - que é deitar sozinha e chorar em silêncio, porque ainda eu só tenho um quarto.