quarta-feira, 18 de maio de 2011

Sonho que se sonha só...

"Sonho que se só é só sonho
Sonho que se sonha junto é realidade!"



A morte de um sonho é o pior acontecimento na vida de um ser humano. É a coisa mais difícil de se enfrentar. Preferiria mil vezes enfrentar maremotos, terremostos, tempestades, baratas, ratos, cobras, enfim... do que a morte de um sonho.
Passei a vida toda sonhando, fantasiando, vivendo no meu mundinho particular, cheio de fantasias, coisas bonitas e finais felizes. Imaginando tudo, como eu queria que fosse minhas coisas, minha vida... Eu fui trabalhando e batalhando do lado de cá, no mundo que você chamam de "real" para tornar meus anseios reais.
Mas (in)felizmente não são todas as pessoas que aceitam gente como eu: "sonhadora", meninha, é difícil quando se é a minoria... Meus planos, meus sonhos, meus desejos, não valem nada para ninguém, só pra mim mesma. Dói mais ainda perder a perspectiva quando a "facada" vem de alguém que a gente gosta muito.
Meu mundinho perfeito virou um desastre só. Não está mais como era ontem antes de eu sair de casa, colorido, bonito, cheio de borboletas voando por todos os lados, feliz. Meu país das maravilhas foi tomado pela "rainha vermelha" de tristeza e dor de ter que aceitar a dura realidade de que sonho que se sonha só é só sonhos mesmo. Que não há espaço no mundo para pessoas sonhadoras.
Por isso, meus leitores, acho que junto com meus conhos, essa també é a morte de uma pessoa: a menina que brincou de bonecas até os 14 anos e ainda brinca de vez em quando com as primas, da pessoa que sonhava em se casar com o Anthony Kiedis do Red Hot, da professora apaixonada por crianças que sonhava em mudar a vida delas. Da pessoa que sonhava também em mudar a vida dos animais de rua. Da pessoa que sonhava em montar um ateliê e viver de arte. Da pessoa que sonhava em ter uma cainha pequena com um jardim de morangos lindo na frente. Da pessoa que planejou a vida inteira o dia mais especial de sua vida. Da Da pessoa que só queria dividir seus sonhos para poder torná-los realidade. Da pessoa que só queira ser feliz!
A realidade que eu percebi, (não sei se demorei muitos anos pra perceber pra mim, a vida sempre foi do jeito que eu imaginei), é que na verdade, eu nunca vou ter as coisas do jeito que eu sonhei, do jeito que eu sempre quis.
Eu mesma deixei meus sonhos morrerem, foi doloroso e difícil. Porque é muito mais doloroso sonhar sozinha.



terça-feira, 10 de maio de 2011

O Maior Contador de Histórias!!!

86 anos, 10 filhos, 18 netos, 15 bisnetos. Palmeirense e torcedor de corção da Itália em Copas do Mundo.Tinha seu cantinho na mesa e não saia de casa sem chapéu. Fazia um queijo quente no fogão que não tinha igual. Carregava a crianaçada na carriola e no carrinho de mão pelo quintal. Montou vários bancos em baixo das árvores do quintal para as tardes de domingo. Contador de histórias. Dono de incontáveis histórias sobre a antiga Monte Alto, onde trabalhou em casas de importantes e respeitadas figuras. Histórias de seu trabalho colocando lajotas nas ruas e das pessoas que conheceu em Vista Alegre do Alto. Histórias do sítio, sobre figuras que via no céu e aparições nas estrelas, sobre aparições, barulhos e vozes entre as porteiras quando passava com os cavalos. Histórias de quando e quem o ensinou a ler, escrever e contar... Eu queria ter escutado mais histórias e ter passado mais tempo ao seu lado. Mas, estou tranquila, e sei que Deus guardou um lugar tranquilo e especial ao lado de todas essas histórias. Vô Jino, o maior contador de histórias que eu já conheci! Fique com Deus!



Na foto: Eu (bebê), meu primo Danilo e meu Vô Jino... Sentirei saudades de suas histórias!