quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Autodestruição

"Eu vejo aqui as pessoas mais fortes e inteligentes.
Vejo todo esse potencial desperdiçado.
A propaganda põe a gente pra correr atrás de carros e roupas.
Trabalhar em empregos que odiamos para comprar merdas inúteis.
Somos uma geração sem peso na história.
Sem propósito ou lugar.
Nós não temos uma Guerra Mundial.
Nós não temos uma Grande Depressão.
Nossa Guerra é a espiritual.
Nossa Depressão, são nossas vidas.
Fomos criados através da tv para acreditar que um dia seriamos milionários, estrelas do cinema ou astros do rock.
Mas não somos.
Aos poucos tomamos consciência do fato.
E estamos muito, muito putos.
Você não é o seu emprego.
Nem quanto ganha ou quanto dinheiro tem no banco.
Nem o carro que dirige.
Nem o que tem dentro da sua carteira.
Nem a porra do uniforme que veste.
Você é a merda ambulante do Mundo que faz tudo pra chamar a atenção.
Nós não somos especiais.
Nós não somos uma beleza única.
Nós somos da mesma matéria orgânica podre, como todo mundo."

"Você não é o seu trabalho.
Você não é o quanto tem no banco.
Nem as roupas que veste.
Escolha não ter uma TV grande
Nem baixo colesterol,
Nem um abridor elétrico de latas...
Muito menos uma casa de dois andares em
uma rua arborizada e ter filhos que só tiram A+.
As coisas que você possui acabam te possuindo.
Você só realmente será livre após perder tudo...
Pois então não terá o que perder, e enfim, se encontrará livre."


"Se você está lendo esse aviso, então isso é para você. Cada palavra lida deste texto inútil é um segundo perdido da sua vida. Você não tem mais nada para fazer? Sua vida é tão vazia que você não consegue vivê-la melhor? Ou você está tão impressionado com a autoridade que você respeita todos aqueles que a exercem em você? Você lê tudo o que deveria? Pensa tudo o que deveria? Compra tudo o que lhe dizem para comprar? Saia do seu apartamento. Pare de comprar tanto e de se masturbar tanto. Peça demissão. Comece a brigar. Prove que você está vivo. Se você não fizer valer pelo seu lado humano, você se tornará apenas mais um número. Você foi avisado..."


Retirado do filme: "Clube da Luta" - muito bom!!

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Silêncio


Chega em casa. Fala um oi sem muito entusiasmo. Dá um selinho sem muita vontade. Antes. até cheirava os cabelos, abria portas, ditribuia sorrisos e abraços. Hoje só esse selinho sem graça mesmo. Faz tempo que estamos juntos. É isso. A magia acabou. O romance, acabou junto. Não adianta se arrumar. Nem mudar o cabelo. Pintar as unhas. Ou usar um nariz de palhaço. Ele não vai perceber. Não importa o que você faça. Você ficou sem graça. Ele perdeu o interesse. Se vão de carro. Liga o som. Fica o tempo todo mudando de músicas. se você dá sorte, rola uma mão na perna. Às vezes - nem isso. Ele não se arruma mais pra te ver. Você também, não. Perdeu a graça. A paixão apagou. Se vão à pé - é pior. Não tem a música do carro pra distrair. Só o mesmo silêncio de sempre. Tudo deixou de ser interessante. Você deixou de ser interessante aos olhos dele. Talvez, ele até tenha arrumada outra. Mas está tão acomadado com você que não vai te largar. Às vezes não. Mas se aparecer outra mais interessante, ele vai ficar assanhadinho por ela. Pega na mão. Às vezes não. Andar abraçadinho - só se for em caso de vida ou morte. Rir de coisas banais - nem pensar. Estão sempre cansados demais. Chegam na casa dele. A primeira coisa, é ligar a televisão e o computador. Você assiste TV. Ele mexe no computador. Ele cansa, desliga e deita ao seu lado na cama. Às vezes te beija com paixão - o que rende um amor muito gostoso. Às vezes nem te beija direito. Tira sua roupa. Se sacia. Dorme. Te leva embora. Com o mesmo silêncio cortante de sempre. Te dá um selinho. Os dois dormem. Você tenta conversar - é inútil. O silêncio fica cada vez mais insuportável. Você não sabe mais o que fazer. Toda vez que tenta conversar, os dois falam coisas que não deveriam. Os dois se magoam. Estão acomodados com a situação. Você pensa que não foi assim que sonhou. Ele diz que sempre foi assim, que nada mudou. Acomodados demais para fazer algo à respeito. Acomodados demais.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Ana

Sei que, pode ser que algumas pessoas que lerem, podem não gostar, mas eu acehi a letra boa.

O Cristo de Madeira - Ana Carolina

Saiu da cadeia sem um puto
Sol na cara monstruoso
Ele é da alma "trip" dos malucos
Belo, mas nunca vaidoso
Um dia comparado a mil anos
Saiu lendo o evangelho
Vida e morte valem o mesmo tanto
Evolução do novo para o velho
Puxava seus cabelos desgrenhados
Vendo a vida assim fora da cela
Não quis ficar ali parado
Aguardando a sentinela
A vida parecia reticente
Sabia do futuro e do trabalho
Lembrou de sua mãe já falecida
Verdade era seu princípio falho
Pensando com rugas no rosto
Olhava a massa de cimento
A sensação da massa fresca
Transmitia às mãos o seu tormento
Trabalhava, ganhava quase nada
Fazendo frio ou calor
Difícil era quem aceitasse
Um cara que já matou
Se olhou como um assassino
No espelhinho da construção
O que viu foi sua cara de menino
Quando criança com seu irmão
Aonde anda seu irmão?
Em algum buraco pelo chão
Ou frequenta alguma igreja
Chamando a outros de irmãos
Sábios não ensinam mais
Refletiu sua sombra magra
Com o pouco que raciocina
Ele orava, ele orava
Mas o Cristo de madeira não lhe dizia nada
Mas o Cristo de madeira não lhe dizia nada
Mas o Cristo, brincadeira, não lhe dizia nada

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Eu não sei parar de te olhar....

Te olho nos olhos,
e você reclama que te olho muito profundamente. Desculpa.
Tudo o que vivi foi profundamente,
eu te ensinei quem sou
e você, foi me tirando os espaços entre os abraços,
guarda-me apenas uma fresta.
Eu que sempre fui livre, não importava o que os outros dissessem.
Até onde posso ir pra te resgatar?
Reclama de mim, como se hovesse a possibilidade de eu me inventar de novo.
Desculpa, se te olho profundamente,
Rente à pele, à ponto de ver seus ancestrais nos seus traços,
à ponto de ver a estrada muito antes dos seus passos.
Eu não vou separar as minhas vitórias dos meus fracassos.
Eu não vou renunciar a mim. Nenhuma parte.
Nenhum pedaço do meu ser: vibrante, errante, sujo, livre, quente.
Eu quero estar viva e permanecer te olhando profundamente.

(Poema - acho que - de Ana Carolina - pode ser encontrado lindamente recitado por ela no CD Multishow ao Vivo: Dois Quartos - faixa 9 - É isso Aí(The Blower´s Daughter))

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Death of a Matian


Death Of A Martian
Bear paws and rascal power
Watching us in your garage
Big girl you ate the neighbor
The nova is over
Wake up and play
Balleradio
Make room for clara's bare feet
The love of a martian

Tick tock and waiting for the meteor
This clock is opening another door

Lots of love just keep it comin'
Making something out of nothin'
These are the best that I
I don't know how to say
Losin' what I love today
These are the best that I

Lots of love just keep it comin'
Making something out of nothin'
These are the best that I
I don't know what to say
Look at what I lost today
And these are the things that I

Blood flowers in the kitchen
Signing off and winding down
This martain ends her mission
The nova is over
She caught the ball
By the mission bell
Chase lizards bark at donkeys
The love of a martian

Let's bow our heads
And let the trumpets blow
Our girl is gone
God bless her little soul

She's got sword in case
Tho this is not her lord incase
The one who can't afford to face
Her image is restored to grace

Disappeared
No trace
Musky tears
Suitcase

The down turn brave
Little burncub bearcareless turnip snare
Rampages pitch color pages...
Down and out but not in Vegas
Disembarks and disengages
No loft

Sweet pink canary cages plummet pop dewskin fortitude
For the sniffing black noses that snort and allude
To dangling trinkets that mimic the dirt cough go drink its
It's for you

Blue battered naval town slip kisses delivered by duck
Muscles and bottlenosed grifters arrive in time to catch the late show
It's a beehive barrel race
A shehive stare and chase wasted feature
Who tried and failed to reach her
Embossed beneath a box in the closet that's lost
The kind that you find when you mind your own mysteries
Shiv sister to the quickness before it blisters
Into the newmorning milk blanket
Your ilk is funny to the turnstyle touch bunny
Whose bouquet set a course for bloom without decay
Get you broom and sweep the echoes of yesternights
Fallen freckles away


Morte de uma marciana
Patas de urso e poder patife
Olhando para nós em sua garagem
Gordinha você comeu o vizinho

A nova acabou
Levante-se e toque
Balleradio
Abra espaço para os pés descalços, Clara
O amor de uma marciana

Tic tac, esperando pelo meteoro
Este relógio está abrindo uma outra porta

Muito amor mantém o movimento
Fazendo alguma coisa do nada
Estes são o melhor que eu
Eu não sei como dizer
Perdendo o que eu amo hoje
Estes são o melhor que eu

Muito amor mantém o movimento
Fazendo alguma coisa do nada
Estes são o melhor que eu
Eu não sei como dizer
Perdendo o que eu amo hoje
Estes são o melhor que eu

Flores de sangue na cozinha
Saindo e diminuindo
Este mártir termina a sua missão
A nova acabou
Ela pegou a bola
Pelo sino
Perseguiu lagartos, latiu para os macacos
O amor de uma marciana

Vamos baixar nossas cabeças
E deixar as trombetas soprarem
A nossa menina se foi
Deus abençoe sua pequena alma

Ela tem a espada pronta
Embora este não seja seu senhor
O que não pode se dar ao luxo de enfrentar
Sua imagem é restaurada para graça

Desapareceu
Sem deixar vestígio
Lágrimas almiscaradas
Mala

A recessão brava
Pequeno pedaço de nabo
Rampas pintam as páginas de preto
Deprimido mas não em Las Vegas
Desembarques e quebras de compromissos
Sem loft

Doces canários rosados, gaiolas de ameixa fortes
Para o nariz farejando preto que o fareja e alude
Para berloques pendurados que imitam a tosse suja, vá beber o seu
É para você

Azul marinho da cidade escapa dos beijos do pato
Músculos e narizes engarrafados chegam a tempo do show
É uma raça rara de colméia
Um olhar de colméia e futuro desperdiçado
Que fracassou ao tentar alcançá-lo
Gravado abaixo de uma caixa no armário que está perdido
O tipo que você encontra quando cuida de seus próprios mistérios
Irmã shiva da rapidez antes de estourar
No cobertor de leite materno
Sua laia é engraçada para o coelho esquisito
Cujo buquê montou um curso para o florescimento sem decadência
Pegue a sua vassoura e varra os ecos da noite
Sardas somem


Eu, sou suspeita para falar, porque eu gosto muito, mas Red Hot Chili Peppers, como eu já disse, apesar de ser uma das minhas bandas preferidas, existem algumas pessoas que podem ler a sua letra (tradução) e achar babaca, idiota e sem conteúdo nenhum. Como eu sou fã de literatura fantástica e músicas com histórias fantásticas, fica a dica, música muito boa, um som gostoso de escutar e uma história legal sobre uma paixão que acabou com tragédia, do CD Stadium Arcadim de 2006, a música Death of a Matican.
Tá chegando dia 21/09!!!!


quarta-feira, 18 de maio de 2011

Sonho que se sonha só...

"Sonho que se só é só sonho
Sonho que se sonha junto é realidade!"



A morte de um sonho é o pior acontecimento na vida de um ser humano. É a coisa mais difícil de se enfrentar. Preferiria mil vezes enfrentar maremotos, terremostos, tempestades, baratas, ratos, cobras, enfim... do que a morte de um sonho.
Passei a vida toda sonhando, fantasiando, vivendo no meu mundinho particular, cheio de fantasias, coisas bonitas e finais felizes. Imaginando tudo, como eu queria que fosse minhas coisas, minha vida... Eu fui trabalhando e batalhando do lado de cá, no mundo que você chamam de "real" para tornar meus anseios reais.
Mas (in)felizmente não são todas as pessoas que aceitam gente como eu: "sonhadora", meninha, é difícil quando se é a minoria... Meus planos, meus sonhos, meus desejos, não valem nada para ninguém, só pra mim mesma. Dói mais ainda perder a perspectiva quando a "facada" vem de alguém que a gente gosta muito.
Meu mundinho perfeito virou um desastre só. Não está mais como era ontem antes de eu sair de casa, colorido, bonito, cheio de borboletas voando por todos os lados, feliz. Meu país das maravilhas foi tomado pela "rainha vermelha" de tristeza e dor de ter que aceitar a dura realidade de que sonho que se sonha só é só sonhos mesmo. Que não há espaço no mundo para pessoas sonhadoras.
Por isso, meus leitores, acho que junto com meus conhos, essa també é a morte de uma pessoa: a menina que brincou de bonecas até os 14 anos e ainda brinca de vez em quando com as primas, da pessoa que sonhava em se casar com o Anthony Kiedis do Red Hot, da professora apaixonada por crianças que sonhava em mudar a vida delas. Da pessoa que sonhava também em mudar a vida dos animais de rua. Da pessoa que sonhava em montar um ateliê e viver de arte. Da pessoa que sonhava em ter uma cainha pequena com um jardim de morangos lindo na frente. Da pessoa que planejou a vida inteira o dia mais especial de sua vida. Da Da pessoa que só queria dividir seus sonhos para poder torná-los realidade. Da pessoa que só queira ser feliz!
A realidade que eu percebi, (não sei se demorei muitos anos pra perceber pra mim, a vida sempre foi do jeito que eu imaginei), é que na verdade, eu nunca vou ter as coisas do jeito que eu sonhei, do jeito que eu sempre quis.
Eu mesma deixei meus sonhos morrerem, foi doloroso e difícil. Porque é muito mais doloroso sonhar sozinha.



terça-feira, 10 de maio de 2011

O Maior Contador de Histórias!!!

86 anos, 10 filhos, 18 netos, 15 bisnetos. Palmeirense e torcedor de corção da Itália em Copas do Mundo.Tinha seu cantinho na mesa e não saia de casa sem chapéu. Fazia um queijo quente no fogão que não tinha igual. Carregava a crianaçada na carriola e no carrinho de mão pelo quintal. Montou vários bancos em baixo das árvores do quintal para as tardes de domingo. Contador de histórias. Dono de incontáveis histórias sobre a antiga Monte Alto, onde trabalhou em casas de importantes e respeitadas figuras. Histórias de seu trabalho colocando lajotas nas ruas e das pessoas que conheceu em Vista Alegre do Alto. Histórias do sítio, sobre figuras que via no céu e aparições nas estrelas, sobre aparições, barulhos e vozes entre as porteiras quando passava com os cavalos. Histórias de quando e quem o ensinou a ler, escrever e contar... Eu queria ter escutado mais histórias e ter passado mais tempo ao seu lado. Mas, estou tranquila, e sei que Deus guardou um lugar tranquilo e especial ao lado de todas essas histórias. Vô Jino, o maior contador de histórias que eu já conheci! Fique com Deus!



Na foto: Eu (bebê), meu primo Danilo e meu Vô Jino... Sentirei saudades de suas histórias!

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Apenas apanhei na beira-mar...


... Um táxi pra estação lunar...

José Ramalho Neto, mais conhecido como Zé Ramalho, suas influências musicais são uma mistura de elementos da cultura nordestina (cantadores, repentistas e rabequeiros), da Jovem Guarda (Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Golden Boys e Renato e seus blue caps), a sonoridade dos Beatles e a rebeldia de The Rolling Stones, Pink Floyd, Raul Seixas e, principalmente, Bob Dylan. Há elementos da mitologia grega e de histórias em quadrinhos em suas músicas.

Uma pessoa muito importante no nosso cenário musical, com músicas que falam de amor e de rebeldia. Particularmente, eu adoro...

Táxi Lunar
ELA ME DEU O SEU AMOR
EU TOMEI
NO DIA 16 DE MAIO
VIAJEI
ESPAÇONAVE ATROPELADA
PROCUREI
O MEU AMOR APERREADO

APENAS APANHEI NA BEIRA-MAR
UM TÁXI PRA ESTAÇÃO LUNAR

BELA LINDA CRIATURA
BONITA
NEM MENINA NEM MULHER
TEM ESPELHO NO SEU ROSTO
DE NEVE
NEM MENINA NEM MULHER

APENAS APANHEI NA BEIRA-MAR
UM TÁXI PRA ESTAÇÃO LUNAR
PELA SUA CABELEIRA
VERMELHA
PELOS RAIOS DESSE SOL
LILÁS
PELO FOGO DO TEU CORPO
CENTELHA
BELOS RAIOS DESSE SOL

APENAS APANHEI NA BEIRA-MAR
UM TÁXI PRA ESTAÇÃO LUNAR





sexta-feira, 8 de abril de 2011

Please don't say you're sorry


Acho que todas nós já escutamos várias vezes isso.... quem traduz melhor o significado disso é a Madonna em sua música "Sorry". Eu me cansei também de ouvir isso, assim como ela. Pior, qeu quem pede desculpas, já sabia antes que ia te magoar...
"Depois que inventaram a palavra "desculpas" ficou mais fácil magoar os outros...."

Sorry - Madonna

Je suis désolé
Lo siento
Ik ben droevig
Sono spiacente
Perdóname

I've heard it all before
I've heard it all before
I've heard it all before
I've heard it all before

I don't wanna hear, I don't wanna know
Please don't say you're sorry
I've heard it all before
And I can take care of myself
I don't wanna hear, I don't wanna know
Please don't say 'forgive me'
I've seen it all before
And I can't take it anymore

(...)

Don't explain yourself cause talk is cheap
There's more important things than hearing you speak
You stayed cause I made it so convenient
Don't explain yourself, you'll never see

Gomenasai
Mujhe maph kardo
Przepraszam
Slicha
Forgive me...







quinta-feira, 7 de abril de 2011

Almirante!


Conhecido por sua voz malandra e seu jeito faceiro de cantar, Jorge Veiga, é um dos grandes intérpretes do samba, aliando, em seu repertório, sambas de breque, de gafieira e carnavalescos. Nascido no Engenho de Dentro, começou a vida artística em 1934, na Rádio Metropolis, mas só obteve sucesso dez anos depois, no carnaval de 1944, com o samba "Iracema". Já com sua personalidade irreverente moldada, Jorge lançou sucessos como "Rosalina", "Cabo Laurindo", "Eu Quero É Rosetá" e "Estatutos da Gafieira", entre outros. Em 1971, lançou o LP "De Leve" em parceria com Cyro Monteiro, outro das maiores cantores do samba carioca. Eternizando sua carreira, lançou, em 1975, "O Melhor de Jorge Veiga".

Conversa De Botequim (Jorge Veiga)

[REFRÃO]:
Seu garçom, faça o favor
De me trazer depressa
Uma boa média
Que não seja requentada
Um pão bem quente
Com manteiga à beça
E um guardanapo
E um copo d'água bem gelada
Feche a porta da direita
Com muito cuidado
Que eu não estou disposto a ficar
Exposto ao sol
Vá perguntar ao seu freguês do lado
Qual foi o resultado do futebol

Se você ficar limpando a mesa
Não me levanto nem pago a despesa
Vá pedir ao seu patrão
Uma caneta, um tinteiro
Um envelope e um cartão
Não se esqueça de me dar palito
E um cigarro pra espantar mosquito
Vá dizer ao charuteiro
Que me empreste uma revista
Um cinzeiro e um isqueiro

[REFRÃO]

Telefone ao menos uma vez
Para 344333
E ordene ao Seu Osório
Que me mande um guarda-chuva
Aqui pro nosso escritório
Seu garçom, me empreste algum dinheiro
Que eu deixei o meu com um bicheiro
Faz dizer ao seu gerente
Que pendure esta despesa
Num cabide ali em frente

[REFRÃO]





segunda-feira, 4 de abril de 2011

"Liberdade não é Utopia!"


"Liberdade não é Utopia!"

É com essa magnífica citação que começo meu post de hoje. Não somente como escritora, mas como fã, esse ano, exatamente dia 22 de outubro, fará 15 anos que Renato Russo foi tirado desse mundo de tédio, com T bem grande pra você! (quem conhece, sabe!)
Acordei com vontade de escrever sobre minha paixão platônica pelo Renato, Legião e tudo o que escreveu, sentiu, passou...
Me inspira muito escutar ou simplesmente ler o que ele escreveu, Renato sabia (sabe ainda) tocar profundamente a alma de quem escuta suas músicas, músicas profundas, deprimentes, tristes. Escutar Legião Urabana é muito mais do que simplesmente ecutar Legião Urbana, é sentir, respirar, amar, tem que tocar fundo na alma para se poder entender o que realamente quer ser passado.
Que perdoe Vinícius, Clarice, Olavo, Fernando... Renato foi um dos maiores poetas que já existiu em nossa literatura, suas poesias em forma de canção, de protesto, um protesto melancólo e ao mesmo tempo forte e sincero. Um amor não correspondido, mas compreendido. Um amor perdido, mas bem amado... Suas letras contem tudo o que os poetas buscam para escrever seus poemas, romance, solidão, tristeza, protesto, anarquia suja, cidades imundas pela pobreza e pela falta de amor, ódio, rancor, tédio, pureza, paz...
Reanto sempre conseguiu tocar em todas vertentes da poesia, fez uma poesia tradicional e emotiva, gótica e anarquica, sem ser massante e chato. Sem sem podre e triste. Renato atingiu todos os objetivos que uma música pretende, "tocar" o ouvinte, não apenas ser ouvida por seus fãs.
Particularmente, tenho como muitas filosofias de minha vida músicas, pensamentos e frases do Renato e levo isso comigo e passo à adiante sempre que cabe na situação (porém é dificil achar uma situação que não se encaixa uma delas).
Suas músicas são a trilha sonara de toda a minha vida. Mais que um músico e poeta. Não existe no dicionário nem na nossa língua, nem em outra língua uma palavra que deefina Renato Russo. Para mim, o maior poeta que já existiu, e como todos os grandes poetas, já o perdemos.

Indico:
Para Leitura: "Conversações com Renato Russo", pós vida.
"Depois do Fim - vida, amor e morte nas canções da Legião Urbana", de Angélica Castilho e Erica Schlude.
"O Trovador Solitário", de Arthur Dapieve.
"Renato Russo: O filho da Revolução", do jornalista Carlos Marcelo Carvalho.

Para Ouvir: "Renato Russo Presente" - é lindo!
"Como é que se diz eu te amo" - é o melhor ao vivo do Legião Urbana.


"Nunca, Nunca, Nunca deixe alguém te dizer que aquilo que você acredita é babaquice, que de repente o teu sonho não vai dar certo..."

quarta-feira, 23 de março de 2011

Gatos - amos-os ♥ ♥

O que será, será?

Já faz algum tempo que eu e meu namorado estamos afirmando a ideia de ficarmos juntos e sermos felizes para sempre, e como uma boa mulher, já estou fazendo "N" planos de como será o nosso casamento, o que vai ter, os doces, a decoração, o lugar, o vestido, tudo... até que, pintou uma apreenssão, do tipo que eu nunca tinha pensado: "será que é com ele que eu quero passar o resto da minha vida?"
Fiquei pensando como vai ser depois do: "SIM", como será que é envelhecer ao lado dessa pessoa, como vão ser as coisas, se nós vamos continuar a nos dar bem como é hoje, cada uma na sua casa, com a sua vida...
Porque morar separado é uma coisa, você conhece, mas não não conhece a pessoa, sabe dos defeitinhos do dia-a-dia de namorados, mas não do acordar e dormir todos os dias juntos...
Eu amo ficar de conchinha com ele, se eu pudesse ficaria o dia inteiro assim...
Fiquei pensando se é isso mesmo que eu quero... e finalmente percebi que é o que mais quero na minha vida.
Espero que ele também já tenha pensado nisso ou que ele pense o quanto antes, para não se arrepender depois de tudo pronto!

quinta-feira, 17 de março de 2011

Gatos - amo-os ♥

Under the Bridge

Under The Bridge (Red Hot Chili Peppers - amo ♥)

Sometimes I feel like I don't have a partner Sometimes I feel like my only friend Is the city I live in, the city of angels Lonely as I am, together we cry I drive on her streets 'cause she's my companion I walk through her hills 'cause she knows who I am She sees my good deeds and she kisses me windy I never worry, now that is a lie. Well, I don't ever wanna feel like I did that day Take me to the place I love, take me all the way I don't ever wanna feel like I did that day Take me to the place I love, take me all the way, yeah, yeah, yeah It's hard to believe that there's nobody out there It's hard to believe that I'm all alone At least I have her love, the city she loves me Lonely as I am, together we cry Well, I don't ever wanna feel like I did that day Take me to the place I love, take me all the way Well, I don't ever wanna feel like I did that day Take me to the place I love, take me all the way, yeah, yeah, yeah oh no, no, no, yeah, yeah love me, I say, yeah yeah (under the bridge downtown) (is where I drew some blood) is where I drew some blood (under the bridge downtown) (I could not get enough) I could not get enough (under the bridge downtown) (forgot about my love) forgot about my love (under the bridge downtown) (I gave my life away) I gave my life away yeah, yeah yeah (away) no, no, no, yeah, yeah (away) no, no, no say, yeah, yeah (away) But I'll stay





Separô

Separô (O teatro mágico)

Separô toda minha correria
separô o joio do trigo e da padaria
separô diante de mim quando minha tristeza era parte do dia
separô Dona Beleza de Dona Maria

Separô o que não restava do que já não tinha
separô diante minha palavra e se fez poesia
separô pra ouvir meu protesto, meu gesto que incerto,
talvez não faria
separô o silêncio da dor me trazendo alegria

Separô pra pensar no que a gente faria
se não houvesse a poesia
se não restasse farinha pro nosso pão!

Iria só até o fim
daria tudo e mais um pouco de mim
separa um tanto que o outro eu te dou
separa a chuva pra continuar flor!









domingo, 13 de fevereiro de 2011

Costumes - coisa boa ou não?

Estava conversando ontem à noite sobre uma hábito que tem aqui na minha cidade que é "tipo" uma Romaia à uma cidadela aqui perto, onde no dia da "Santa" (eu não sei qual que é, pois eu não sou católica), eles (as pessoas) saem daqui e vão pra essa cidade à pé. Sim - à pé!
Não sou contra a fé, eu tenho fé, acredito e confio em tudo o que Deus me dá, sei que é tudo por merecimento. Sou contra esses costumes antigos, pois existem pessoas e pessoas, pessoas que vão até lá por fé, mas existem os baderneiros que vão só por causa da bagunça. Perguntei à essa pessoa (a que eu estava conversando ontem), porque que ela foi até a cidade á pé, e fiquei sem resposta.
Ou seja, não foi por causa da fé.
Você vai, porque sua mãe vai, e sua mãe vai, porque sua vó ia, e sua ví ia porque a bisa ia e etc... é a mesma coisa da caixinha de Skinner (não me lembro como escreve o nemo dele - meninas da facul lembram-se do Prof. Wagner falando disso na facul.?) que ele colocava os ratos dentro da gaiola e uma escadinha, se eles subissem a escadinha eles tomavam choque, aí eles se acostumaram a bater nos ratinhos que subiam na escadinha para não tomar choque, e os ratos foram sendo trocados e a tradição de bater nos ratinhos que chegavam perto da escadinha continuou, sem saber o motivo real de porque bater nos ratinhos que cehgavam perto da escadinha.
É assim hoje, existem muitos costumes que seguimos, nem sabemos porque e muito menos questionamos os motivos pelos quais eles existem.
Acretido que exitem muitas coisas que devemos questionar, mas quando questionamos certas coisas, não ouvimos respostas.


domingo, 6 de fevereiro de 2011

Post cedido à outra escritora...

Bom, este post não é de minha autoria, é um depoimento que recebi de uma amiga minha e resolvi publicá-lo aqui (sem ela saber rsrsrs)
Fiquei muito triste e comovida com ele, e quero compartilha-lo com meus fiéis leitores...

Chegou o dia em que não estão mais juntas aquelas amigas que pareciam ser inseparáveis.O dia em que cada uma seguiu seu caminho.

Chegou o dia em que perdemos uma de nossas amigas tragicamente e para sempre.O dia em que a estrela de seis pontas teve uma delas de volta ao céu.

Chegou o dia em que não ficamos mais ansiosas para tirar novas fotos para o orkut. O dia em que não temos mais fotos novas juntas

Chegou o dia em que nao fazemos mais loucuras juntas.Nem fazemos mais aquelas colas surreais para repassar entre nós. Nem aqueles trabalhos de última hora que fazíamos juntas no último instante e no bar do Xandel.

O dia em que não nos encontramos todos os dias na facul.

O dia que não nos encontramos nem mesmo fora da facul.

E chegou o dia em que as amigas, além de longe, ficaram distantes uma da outra.

Mas ainda chegará o dia em que contaremos a nossos filhos e netos o quanto fomos felizes juntas.
(Patrícia M. Ospedal)




segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

E eu, no meu monteo retrô, de novo...

Estou no meu momento nostaugico. Escutando músicas antigas, lembrando de coisas que já passaram e pensando no que eu fiz daminha vida...
Sabe, me arrependi de muitas coisas que eu fiz, não sou daquela que se arrepende só do que não fez. Sim, se eu soubesse antes o que sei agora, iria embora antes do final...
Mas, eu fico pensando, se eu não tivesse feito tudo o que eu já fiz, será que eu chegaria onde eu cheguei. Será que conheceria as pessoas que eu conheci e não cometeria os mesmos erros do passado?
Se eu pudesse começar tudo de novo, teria feito diferente, teria aido diferente, teria falado muito mais NÃO do que sim. Teria ficado mais comigo mesma. Isso é uma coisa que me corrói até hoje. Gostaria de ter feito coisas diferentes e não ter feito outras coisas. Muito menos conhecido algumas pessoas.
Teria conhecido outras pessoas muito mais cedo. Teria falado mais com outras.
Hoje faço um resumo disso tudo:

Corações partidos: muitos (meus e outros).
Lágrimas rolas: muitos litros.
Pessoas conhecidas: várias.
Pessoas perdidas: uma amiga.
Amigos perdidos por besteira: dois.
Coração conquistado: um.
Lutas vencidas: algumas.
Lutas perdidas: várias.

Agora é daqui pra frente, porque não tem como voltar atrás do que já foi feito, do que já foi falado, do que já está postado(hauauaaauhuah)...

E a mocinha se perdeu olhando o Sol se por
Que final romântico, morrer de amor
Relembrando na janela tudo que viveu
Fingindo não ver os erros que cometeu


domingo, 30 de janeiro de 2011

Rock´n´roll 80´s





Sou roqueira de carteirinha, só uso preto, maquiagem pesada, unhas sempre escuras, cabelo vermelho e tal... Já escutei de tudo dentro do rock, desde Creedence até Sarcófago. Passei por todas as fases da música...
Mas como tudo que vai, volta. É assim na moda, na literatura, na televisão, nos filmes, na maquiagem, nos cabelos, nas cores, na decoração. Tudo o que é retrô e vintage é chick, não podia ser diferente na música, tudo o que é retrô está na moda, então, voltei ao meu passado de 80´s e estou escutando muita música antiga.
Assistindo ao Sobrenatural (onde só toca rock clássico antigo), deu mais vontade ainda de voltar a escutar Scorpions, Kansas, Creedence, Kid Rock (que é meio chato, mas tá valendo), e o bom e velho Bon Jovi (que, como dizem: "Bon Jovi arrasa às vezes", né ♥?).
Estava escutando e lembrando dos meus tempos de mais nova, quando comecei a me interessar ainda mais por música e respeitar os bons artistas clássicos, como uma boa professora de português deve fazer, respeitar o clássico e conhecer o novo e ver que o novo, nada mais do que uma cópia (na maioria das vezes, mau-feita) do clássico.
Tá, vai, existem algumas bandas novas que são boas, como... (não consigo completar a frase....ahauahuahauh)

Só pra constar., estou escutando Bon Jovi neste momento, porque ele arrasa, mas só às vezes

Take my hand, we´ll make it, I swear
Whoah, Livin' On A Prayer